Em mobilização dos servidores da Procergs, De Martini critica discurso da crise

  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1

 

Convidado pelo Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados (Sindppd/RS), o presidente do Afocefe, Carlos De Martini Duarte, palestrou nesta quinta-feira, 05, aos servidores da Procergs, durante mobilização em frente à sede da empresa.

Com cerca de 1.100 servidores em todo Estado, a categoria está em greve desde terça-feira contra o projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa propondo um plebiscito sobre a privatização ou federalização de órgãos e empresas públicas, entre elas a Procergs e em defesa das empresas estatais de tecnologia de informação. Na pauta também estão questões salariais e benefícios.

De Martini criticou medidas adotadas pelo Governo frente à crise, que escolheu aumentar alíquotas, precarizar serviços públicos, penalizar servidores e vender patrimônio do Estado, ao invés de combater a sonegação e rever isenções fiscais. ‘’Enquanto o Estado enfrenta uma crise sem precedentes, abre mão de R$ 7,8 bilhões ao ano devido a sonegação de ICMS e concede R$ 9 bilhões em benefícios fiscais sem nenhuma transparência’’, afirmou.

O dirigente do Afocefe relatou o trabalho realizado pela entidade, que aponta caminho para o Estado superar a crise e retomar o caminho de desenvolvimento. Citou o Sonegômetro ICMS RS, que estima quanto o Estado deixa de arrecadar com a sonegação e o estudo ‘’A Crise é de Receita’’, que faz uma radiografia das finanças estaduais e apresenta alternativas para o equilíbrio das contas públicas. ‘’Afirmamos com convicção que a crise é de receita e a saída passa pelo reforço na fiscalização, com medidas efetivas de combate à sonegação, o contrabando e a todo tipos de ilícito que provoca sangria nos cofres públicos’’, afirmou De Martini.

Tweet