Afocefe recebe pré-candidato ao governo pelo PP e defende gestão fiscal mais eficiente para o Estado superar a crise

  • 1

 

 

O Afocefe recebeu nesta segunda-feira, 04, na sede do Sindicato, o pré-candidato ao governo do Estado pelo PP, deputado federal Luis Carlos Heinze, acompanhado do deputado federal Jerônimo Goergen.

Os dirigentes do Afocefe debateram com as lideranças do Partido Progressista a necessidade de ações para coibir de fato a sonegação no Estado, permitindo a concorrência leal entre as empresas; impedir a facilidade da entrada de armas e drogas e coibir os crimes de contrabando e abigeato, cada vez mais crescentes devido à falta de fiscalização nas fronteiras gaúchas, que estão livres para o trânsito de mercadorias. 

Explanaram o montante que o Estado deixa de arrecadar devido a um modelo de fiscalização ineficiente. Apontaram que somente a dívida ativa das empresas com o Estado totaliza R$ 44 bilhões, sendo que 80% deste valor não será recuperado. Alertaram ainda que a sonegação de ICMS chega a R$ 8 bilhões ao ano no Estado, enquanto o déficit projetado é estimado entre quatro a sete bilhões. Aliado a isso, a contrabando e a pirataria movimentam R$ 61,5 bilhões no Rio Grande do Sul, conforme dados da Fecomércio. ‘’Somente com a ação efetiva do Estado, reforço da fiscalização e aparato da Brigada Militar para dar segurança às operações, poderá se aumentar a percepção de risco e inibir a prática de ilícitos. O Estado deve fazer o que lhe cabe, fiscalizar seus tributos e cobrar os sonegadores para ter condições de cumprir seu compromisso com a população em prestar serviços públicos de qualidade’’, apontou o presidente do Afocefe, Carlos De Martini Duarte.

O pré-candidato ao governo gaúcho recebeu dos dirigentes do Sindicato o trabalho ‘’’A Crise é de Receita’’ que apresenta caminhos para o Estado alcançar o equilíbrio fiscal, por meio de uma gestão fiscal mais eficiente. Os diretores reiteraram que diferentes governos tentaram controlar a crise apenas pelo corte de despesas e a derrocada perdura, já que continua o modelo de fiscalização que contribuiu para gerar a crise financeira, sem que nenhuma política pública estruturada para frear a perda de receita fosse adotada. ‘’O que está em vigor hoje no estado é um verdadeiro programa de sonegação premiada, que beneficia os maus contribuintes’’, frisou De Martini.

Luis Carlos Heinze reconhece a importância do Estado ser protagonista em ações que garantam o pagamento em dia do funcionalismo e investimentos para gerar crescimento econômico e qualificação dos serviços públicos.   ‘’O Afocefe tem demonstrado conhecimento das mazelas econômicas do Estado, apresentando alternativas para alcançar o equilíbrio financeiro, especialmente pelo reforço da fiscalização e combate à sonegação, revertendo o quadro atual’’, enfatizou. 

Mantendo o protagonismo em promover discussões de interesse do Estado, o Afocefe Sindicato tem apresentado aos pré-candidatos ao governo gaúcho e dirigentes de entidades de trabalhadores sua posição sobre a situação das finanças estaduais, ressaltando a necessidade de reforçar a fiscalização para aumentar a percepção de risco  e combater de fato a sonegação para o Rio Grande retomar o caminho do desenvolvimento.

 

Tweet